quinta-feira, 20 de outubro de 2011

FESTIVAL DE TEATRO E DANÇA DO CEDI

Realizamos nos dias 30 de setembro e 1º de outubro de 2011, o 2º Festival de Teatro e Dança do CEDI. Esse evento faz parte do projeto de artes de nossa escola, que nesse primeiro semestre dá um enfoque as linguagens artísticas: teatro, dança e música. Todas as turmas apresentaram um número artístico:

  • Infantil 1: Dança do Macaquinho com Bia Bedran;
  • Infantil 2A e 2B: Dança com a música Penera o Xerém de Luiz Gonzaga;
  • Infantil 3A: Dança teatralizada A Linda rosa juvenil de domínio público;
  • Infantil 3B: Dramatização da peça adaptada Os porquinhos e o Lobo;
  • Infantil 4A: Dança teatralizada A linda rosa juvenil;
  • Infantil 4B: Dramatização da peça musicada Aventura na África;
  • Infantil 5A: Jogral sobre brinquedos.

video video



PROJETO DE ARTES VISUAIS

CEI CENTRO DE ESTIMULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL – CEDI

PROJETO SEMESTRAL

FAZENDO ARTE NA ESCOLA: SOU CRIANÇA, SOU ARTISTA
Faixa etária: 1 a 5 anos
Duração: 05 meses (outubro/2011 a fevereiro/2012)

JUSTIFICATIVA
            O mundo é repleto de símbolos e significados que possibilitam grandes descobertas nesta fase da infância. A arte possibilita o desenvolvimento de atitudes essenciais para o indivíduo como o senso crítico, a sensibilidade e a criatividade. A arte faz parte da vida da criança como instrumento de leitura do mundo e de si mesma.
            No processo de aprendizagem em Artes Visuais, a criança exterioriza seu mundo interno, sua personalidade e seu modo de ver e de sentir as coisas. Ela traça um percurso de criação e construção individual que envolve escolhas, experiências pessoais, aprendizagens, relação com materiais e sentimentos. A criação é exclusividade das crianças, mas cabe ao professor alimentar esse percurso de forma intencional, oferecendo propostas e experiências variadas.

OBJETIVOS GERAIS
            De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil do MEC e a Proposta Pedagógica de Educação Infantil de Fortaleza, o trabalho com Artes Visuais tem como objetivos:
·        ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística;
·        comunicar e expressar pensamentos e sentimentos por meio de todas as expressões das artes visuais: colagem, pintura, desenho e escultura.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
·        Utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação;
·        Interessar-se pelas próprias produções, pelas de outras crianças e pelas diversas obras artísticas (especificamente nacionais) com as quais entrem em contato, ampliando seu conhecimento do mundo e da cultura;
·        Produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação;
·        Identificar e utilizar os materiais, instrumentos e técnicas relacionadas com as atividades artísticas;
·        Observar, apreciar e fazer a releitura das produções artísticas de artistas brasileiros;
·        Contextualizar algumas obras, conhecendo sobre a vida dos artistas, sua época e local onde viveram.

CONTEÚDOS
·        Espaço, superfície, volume, linha, textura, forma, cor, luminosidade e ponto;
·        Coordenação motora ampla e fina;
·        Expressão oral e escrita;
·        Vida e obra de artistas brasileiros.

ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS
            Para facilitar o trabalho nesta área, faz-se necessário contextualizar a proposta de trabalho para as artes visuais. No Brasil, Ana Mae Barbosa formulou a metodologia da proposta triangular. Ela mostrou que o professor deveria usar o seguinte tripé em classe: o fazer artístico, a história da arte e a leitura de obras. O ensino atualmente evoluiu a partir dessas idéias e, hoje usamos a apreciação artística, a reflexão (contextualização e releitura das obras estudadas) e a produção artística.
1. APRECIAÇÃO E REFLEXÃO
Este bloco tem como objetivo a ampliação da capacidade de percepção e sensibilização de imagens. O foco desse projeto é conhecer a vida e a obra de artistas plásticos brasileiros que contribuíram e contribuem para a construção da história da arte no Brasil. Dentre eles estão: Tarsila do Amaral, Aldemir Martins, Chico da Silva, Anita Malfatti, Vik Muniz, Di Cavalcanti, Cândido Portinari, Takashi Fukushima, Gustavo Rosa, Alfredo Volpi, Romero Brito e representantes da Arte Näif. Cada turma estudará um dentre estes para aprofundar os conhecimentos a respeito de sua história e de suas obras.
A professora deve planejar momentos de produção de releituras das obras do artista estudado, ou seja, a criança produz a obra do artista sob a sua ótica e não uma mera cópia da obra apreciada; e momentos em que haja a apreciação das produções das próprias crianças. Deve deixar que elas falem sobre suas criações e escutem os comentários dos colegas.
Para uma apreciação livre a professora pode fazer perguntas do tipo:
·        Do que você mais gostou?
·        Como o artista conseguiu estas cores?
·        Que instrumentos e meios ele usou?
·        O que você acha que foi mais difícil para o artista fazer?
·        Que cores foram utilizadas?

            É essencial contextualizar as apreciações, dando informações sobre a biografia do autor, falando sobre outras obras de sua autoria e evidenciando características. As informações devem ser simplificadas ou aprofundadas conforme o interesse e as possibilidades do grupo. Esses são links onde a professora encontrará farto material sobre os artistas brasileiros:


  2. PRODUÇÃO- O fazer artístico:
sub-tema: Colagem
                         sub-tema: Pintura
                                      sub-tema: Escultura
                                     sub-tema: Desenho

Neste bloco estão os conteúdos que se relacionam com o fazer artístico, organizados de acordo com as diferentes modalidades e procedimentos no uso de materiais como lápis, pinceis, tintas, papeis, cola etc. A professora poderá utilizar os conhecimentos adquiridos no Bloco 1 do projeto com relação ao artista plástico escolhido para a sua sala e utilizando as diversas técnicas fazer releituras das obras do autor. Ao planejar as atividades, é preciso considerar as habilidades motoras de cada faixa etária e trabalhar com as crianças os cuidados necessários com os outros e consigo mesmas no uso desses materiais.
·        Colagem: Para fazer colagem, é preciso trabalhar em duas fases: a coleta, na qual se escolhe o material a ser colado; e a composição, na qual se escolhe o,lugar apropriado para colar os papeis ou objetos, procurando compor as formas entre si.
·        Pintura: Os trabalhos iniciais de pintura devem desenvolver a sensibilização da criança com a tinta e para isso podemos dispensar os pinceis e outros instrumentos e usar as partes do corpo como as mãos ou os pés.
DICAS:
1. As crianças podem se envolvidas no preparo das tintas. Podem misturar cores ou experimentar consistências.          
2. Não se deve nunca fazer por uma criança o que ela pode fazer por si só;
3. As pinturas realizadas em grupo favorecem a socialização e é uma boa opção para o trabalho com crianças menores.
·        Escultura: A construção se caracteriza pela utilização de estruturas tridimensionais e trabalha com a montagem, desmontagem, equilíbrio e desenvolvimento da coordenação visual e motora. Os elementos visuais importantes para um trabalho de construção são: formato, tamanho, cor e textura.
·        Desenho: É no desenho que a criança tem contato com a sua primeira escrita.

     
Alguns links importantes:

PRODUTO FINAL E CULMINÂNCIA
            Será organizada uma exposição com os trabalhos produzidos durante o projeto em cada sala de aula com visitação aberta aos pais e alunos de outras turmas, em fevereiro (data a combinar posteriormente). Cada sala será uma galeria de arte com obras das crianças a partir das obras do artista escolhido para a turma e obras inéditas das próprias crianças.

AVALIAÇÃO
            Será feita através de observação sistemática e direta da criança, agindo como mediadora de suas conquistas considerando a diversidade de interesses e possibilidades de exploração do mundo pela criança e através de registro para elaboração do relatório individual de cada criança.

AOS VISITANTES!! ESTE PROJETO ESTÁ DISPONÍVEL PARA QUALQUER PROFESSOR OU PROFESSORA QUE DESEJE APLICÁ-LO OU USÁ-LO COMO APOIO AO SEU TRABALHO DE SALA DE AULA, DESDE QUE OS CRÉDITOS DA AUTORIA DO MESMO SEJA DADO.


MESTRADO E DOUTORADO GRATUITO PARA PROFESSORES DA REDE PÚBLICA


Haddad anuncia que serão gratuitos os mestrados e doutorados em educação

Sexta-feira, 30 de setembro de 2011 - 17:41
Cursos de pós-graduação, mestrados e doutorados em educação, mesmo em instituições privadas, serão gratuitos. O anúncio foi feito pelo ministro Fernando Haddad, na tarde desta sexta-feira, 30, durante o 7º. Congresso Inclusão: Desafio Contemporâneo para a Educação Infantil, promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Unidades de Educação Infantil da Rede Direta e Autárquica do Município de São Paulo (Sedin). 

Haddad explicou que deve assinar nos próximos dias uma portaria que dará a esses cursos o mesmo mecanismo do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Os professores que decidirem fazer o curso e trabalharem nas redes públicas terão a dívida saldada automaticamente. 

O ministro da Educação admitiu que trabalha com dificuldade em um modelo de avaliação para a educação infantil. “Faço um desafio para vocês. Me mostrem os casos de sucesso e de eficiência para que possamos tabular esses valores.”

Haddad creditou ao presidente Lula a inclusão da educação infantil no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), além do fornecimento de merenda, transporte escolar, biblioteca e livro didático. “O que mais me impressionou quando eu cheguei ao Ministério da Educação foi a constatação de que não só não havia mecanismos de financiamento, como não se dava importância a um ciclo tão importante da formação da criança.” 

O ministro lembrou da emenda constitucional que tornou obrigatória a educação dos quatro aos 17 anos e qualificou o Programa de Reestruturação da Rede Escolar Pública (ProInfância) como o maior programa de expansão da rede física educacional. “A presidenta Dilma conveniou 4 mil creches e destinou recursos para 6.400 creches em todo o pais, 172 apenas na cidade de São Paulo. Além disso, o Ministério da Educação vai se responsabilizar pelo primeiro ano de custeio antes do censo” – concluiu.

Assessoria de Comunicação Social

FONTE: http://portal.mec.gov.br/ index.php?option=com_content& view=article&id=17105